10 Dicas para um condomínio sustentável

Proteger o meio ambiente é um dever de todos e se você ainda não se deu conta de que o futuro do planeta está em nossas mãos, está mais do que na hora de mudar de postura.

Os resíduos acumulados nos canteiros de construção são comercializados e convertidos em prêmios, destinados aos trabalhadores terceirizados que neles atuam. Mas e quando a obra termina?
O primeiro passo em direção à sustentabilidade é sensibilizar os outros moradores sobre a importância de preservar o meio ambiente. Você pode conversar com o síndico e pedir uma reunião para abordar o tema.

Nessa primeira fase, sugira medidas simples e baratas, como a coleta seletiva de resíduos e a criação de um pomar.

Feito isso, é hora de partir para iniciativas mais ousadas. E, para ajudá-lo na missão de transformar o seu prédio em
um condomínio sustentável, colhemos algumas dicas do Guia Sustentabilidade para Instalações Domiciliares, produzido pela Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz (UMAPAZ), da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente de São Paulo.

1- Substitua as duchas por chuveiros. Duchas chegam a consumir 328% mais água que um chuveiro convencional. Se não for possível substituí-las, instale um restritor de vazão constante (somente para pressões superiores a 10 metros de coluna de água – 10 m.c.a).

2- Troque a descarga comum por uma de duplo fluxo. Ela tem dois botões de acionamento: um dispara um fluxo de 3 litros para a descarga de líquidos e o outro produz uma vazão de 6 litros para a descarga de efluentes sólidos. Assim, você não usa
mais água do que o necessário, como acontece com os modelos comuns.

3- Invista em aeradores nas torneiras da cozinha. Eles permitem menor fluxo de água, espalhando o jato por uma área maior durante a lavagem da louça.

4- Troque as torneiras comuns pelas com temporizador. Para os esquecidinhos, que não fecham a torneira após o uso, o mercado oferece modelos com fechamento automático. Excelentes para ambientes coletivos, como o salão de festas e o banheiro da academia de ginástica.

5- Reaproveite a água da chuva. A captação é feita em lajes e telhados dos edifícios, já que outras áreas são inadequadas. A água pode ser usada para vasos sanitários e lavagem de pisos, mas é necessário contar com o auxílio de um profissional habilitado para elaborar o projeto.

6- Instale medidores individuais de gás e água. Como cada condômino terá de arcar com os próprios gastos, certamente o consumo irá diminuir. A economia de água é da ordem de 30%, podendo chegar a 60%.

7- Aposte nas caixas de gordura. Elas têm total eficiência na retenção de óleos de fritura e gorduras, evitando o entupimento das redes públicas de esgoto e colaborando para a eficiência das estações de tratamento.

8- Troque as lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes. Mais eficientes, as fluorescentes, além de iluminar mais, gastam menos: enquanto uma lâmpada incandescente consome 100 w, a fluorescente gasta apenas 20 w para oferecer a mesma
iluminação.

9- Instale sensores de presença. Eles acionam automaticamente o sistema de iluminação somente quando houver pessoas no ambiente. Indicados para áreas comuns, como halls, elevadores, garagens e escadarias.

10- Aproveite a energia solar. Além de reduzir os impactos ambientais, o uso de aquecedores solares diminui o consumo no pico de demanda do sistema elétrico (das 18h às 21h). Ou seja, a conta de luz virá mais barata.

Fonte:http://petit.ecomm.com.br/?p=9
Esta entrada foi publicada em Acontece e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *