Os passos básicos para decorar uma casa

Só de pensar em tanto espaço vazio e a forma como vai preenchê-lo dá-lhe arrepios? Calma! A decoração não é, nem deve ser um “bicho-de-sete-cabeças”! Afinal de contas, se uma casa é o reflexo de quem a habita, estará recheada de coisas que adora e a escolha de tudo isso só pode ser divertido! Aproveite estas dicas para começar com o pé direito!

Pesquisar,pesquisar, pesquisar!

A quantidade de livros, revistas e conteúdos online que existem sobre decoração são todas elas ferramentas poderosas para quem se estreia nas andanças pelo mundo maravilhoso que é o design e a decoração de interiores. Não se assuste com a quantidade de informação existente, mas aproveite-a ao máximo, para descobrir quais as atuais tendências, para se inspirar e descobrir o seu estilo. Imprima ou recorte tudo aquilo que lhe chamou atenção, colocando-os numa pasta que pode bem chamar-se “decorar é comigo”!

O meu estilo

Por esta altura, já terá uma ideia do estilo de decoração que o encanta mais. As inspirações que tem coleccionando na sua pasta vão denunciá-lo como alguém que adora uma decoração clean, com traços simples, móveis rectos e poucos acessórios a adorná-los; ou alguém que precisa de estar rodeado de mil e um objectos e cores, um adepto da decoração kitsch ou eclética; se vive sozinho ou se faz parte de um casal, um estilo formal pode perfeitamente ser a vossa cara, ao contrário de uma família numerosa que pode viver melhor na companhia de um estilo informal. Com mais ou menos retoques e variações, este será o estilo que, consciente ou inconscientemente, vai imprimir em toda a decoração da sua casa.

Cores & Temas

Todos temos as nossas cores preferidas e não há nada mais natural do que uma decoração que combine com as cores predominantes do seu guarda-roupa! Pode entregar-se à simplicidade de uma decoração monocromática ou misturar várias cores complementares para um look mais abrangente. Para além das cores, pode inspirar-se em temas específicos, como uma sala de estar inspirada em jardins e na vida ao ar livre ou num quarto de hóspedes baseado na cultura chinesa ou africana. O tema do seu escritório pode estar fundamentado numa loja ou museu que visitou recentemente e cuja disposição ou cores não lhe saem da cabeça! Não se cansa do ambiente proporcionado pelo seu restaurante preferido? Nada lhe impede de adaptar ou de aplicar “ipsis verbis” essa mesma decoração na sua sala de jantar! A inspiração e as boas ideias estão em todo o lado, procure-as com olhos de decorador!

Design funcional

Já sabe quais os estilos, as cores e os temas que o fazem sorrir, agora pense na utilidade que esse espaço vai ter ou que gostaria que tivesse. No caso de uma casa de banho de serviço, quer surpreender os seus convidados com um visual “wow”? Como o seu uso não será diário, pode investir um pouco mais, garantido uma decoração duradoura, por exemplo. Já o quarto do seu filho vai requerer várias alterações ao longo dos anos para acompanhar o seu crescimento, por isso, porque não reduzir custos e apostar em mobiliário do IKEA? Vive num T1 mas tem sempre muitos amigos de fora a visitar? Invista num bom sofá-cama para a sala! São pormenores importantes que vão ajudar a restringir o conjunto de decisões que tem de tomar e cujo resultado final vai contribuir para a sua satisfação global… ou não! O importante é que não descure nada à primeira, para que uma vez finalizada a decoração se sinta realizado e não frustrado com as suas escolhas.

Uma tela branca

Uma divisão por decorar, seja ela qual for, é como uma tela branca – tudo é possível! Misture cores, texturas e formas para conseguir copiar à letra a cozinha que está na capa da sua revista de decoração deste mês, tire partido de traços arquitectónicos que interessa realçar ou então procure soluções engenhosas para os esconder! Não há uma forma errada nem correcta de decorar – siga os seus instintos e se quer escolher primeiro a mobília do quarto e só depois pensar nas cores das paredes, não há problema! Se, por outro lado, sempre quis ter um escritório com uma parede pintada toda de preto, porque não? Depois é completar os restantes metros quadrados a partir daí! Na decoração vale tudo, desde que se sinta bem com o resultado final e que, no final do dia, em vez de fazer tudo para atrasar
o regresso a casa, sai a correr em sua direcção mal bate a porta do escritório!

Mobilar à primeira

Escolher os móveis para qualquer divisão de uma casa nem sempre é “pêra doce” – exige que se saiba exactamente o que se quer em termos de materiais, cores e número de peças, medidas exactas e a certeza que os sofás combinam com o móvel da TV – afinal são eles os grandes protagonistas! Para ajudar a consolidar decisões finais, recorte imagens do mobiliário que está na sua lista de possibilidades, dispondo-as numa folha de papel branca e veja se gosta do que vê, qual o melhor layout para as diferentes peças e se existe espaço para adicionar um pouf ou se vai ter de retirar 50 cm à mesa da sala de jantar.  Se, por outro lado, gosta de ver tudo ao vivo e a cores, quando receber os móveis, coloque protectores de feltro debaixo de cada peça para poder movimentá-las à vontade, experimentando disposições diferentes, sem riscar o chão.

Acessórios atraentes

Com as fundações bem alicerçadas, o toque final na decoração de uma casa são os acessórios – muitos ou poucos, baratos ou caros – podem ser conjugados até à exaustão, trocados de divisão e mudados cíclica ou sazonalmente. Andar às compras para a sua casa é muito divertido e existem vários truques com estilo, que não exigem uma carteira recheada, ou seja, é possível decorar sem gastar muito!

Um de cada vez!

Dedique-se a uma divisão de cada vez, não só para equilibrar o orçamento, mas também para se poder entregar a 100% aos 50m2 do escritório, para que nada falhe! É claro que mal comece a envolver-se no mundo mágico da decoração não vai querer outra coisa e a sua cabeça vai andar a fervilhar de ideias que quer pôr em prática! Tente manter-se concentrado, até porque decorar, por completo, uma única divisão, tem muito que se lhe diga! Não se esqueça que cada espaço requer a escolha de cores e revestimento para paredes e janelas, decisões sobre mobiliário e se as diferentes peças serão compradas em formato standard ou executadas à medida, a aquisição de têxteis-lar, tapetes e carpetes, iluminação, quadros ou molduras para as paredes, utensílios indispensáveis e objectos decorativos. Mantenha uma lista actualizada daquilo que pretende comprar e as diferentes lojas que disponibilizam o que procura (convém sempre visitar mais do que um espaço comercial para comparar preços e níveis de qualidade). Se, pelo meio, vir uma cama ou um candeeiro que adora e que seriam perfeitos para o quarto principal, tome nota e guarde a referência na sua pasta.

Conselhos profissionais

Se mesmo com estas dicas acha que não será capaz de dar vida à sua casa ou se a sua ideia de decoração é um sofátodo esburacado, uma televisão pousada em cima de uma lata velha de tinta e pilhas de revistas e jornais velhos espalhadas pela sala, então o melhor será mesmo procurar ajuda profissional! Um decorador de interiores tratará de tudo e você apenas terá de dizer se gosta ou não e, claro, passar o cheque! O investimento será muito mais elevado, mas terá um serviço de cinco estrelas e a oportunidade de aprender com um verdadeiro especialista! Quem sabe não ganha o gosto e o jeito e, depois de completada a primeira divisão, se dedica à decoração da sua casa sozinho!

 

Fonte: http://eudecoro.com/artigos/passos-basicos-para-decorar-casa
Esta entrada foi publicada em Imóveis e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *