Conheça 5 formas de reduzir o pó da sua casa

Quais os riscos do excesso de pó em casa?

O excesso de pó em casa é responsável por diversos problemas, desde questões de saúde sérias como também relacionados ao bem-estar no ambiente, visto que uma casa com poeira é desconfortável e desagradável.

Apesar da questão da sujeira ocasionar esse desconforto, atualmente, os problemas de saúde são as ocorrências mais graves de uma casa com muita poeira e é impossível evitá-la completamente, seja em apartamentos ou casas.

Entre as ocorrências mais comuns e graves dessa condição estão as doenças respiratórias como asma, bronquite e rinite alérgica. Conheça mais sobre elas a seguir:

  • asma: consiste em uma inflamação dos brônquios podendo ser disparada por agentes irritantes, sendo que a poeira doméstica afeta a maior parte dos asmáticos, podendo gerar crises que causam chiado no peito, tosse e falta de ar;
  • bronquite: é uma doença provocada pela inflamação das vias que levam o ar aos pulmões. A versão crônica da doença é um tipo de DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica) que pode desenvolver-se por causa da inalação de gases tóxicos, poluição e poeira;
  • rinite alérgica: é uma reação imunológica do organismo quando considera estranhas as partículas que foram inaladas provocando espirros, coceira no nariz, obstrução nasal e coriza. A poeira doméstica é a principal responsável pela rinite que também é provocada pelo pólen e alguns alimentos.

Não à toa a poeira doméstica está tão relacionada com problemas de saúde, pois ela é composta por fungos, ácaros, bactérias, restos de pelos de animais e descamação da pele humana.

Dessa forma, os cuidados com a limpeza da casa são muito importantes para manutenção da qualidade de vida e saúde dos moradores.

Como diminuir o pó de casa?

Dados os graves problemas de saúde relacionados com a poeira doméstica é importante conhecer alternativas que permitem minimizar essa ocorrência, ainda que não seja possível evitá-la completamente. Confira 5 dicas de como diminuir o pó de casa!

1. Descarte o que não for usar

Um dos hábitos mais relacionados com a poeira é o da acumulação desenfreada. De fato, acumuladores em geral possuem casas com mais pó, pois o excesso de objetos, mesmo os pouco ou raramente usados, faz com que se torne mais difícil limpar esses ambientes.

Assim, a primeira dica para manter a casa limpa é criar o hábito de descartar corretamente tudo o que não for usar. Podem ser consideradas roupas, calçados, acessórios, livros, aparelhos velhos e objetos em geral.

Dessa forma, garante-se mais consciência ambiental, manter a casa mais limpa e facilita a faxina.

2. Limpe todos os detalhes

Uma limpeza básica pode até ser realizada com mais frequência, mantendo o ambiente aparentemente limpo, mas o problema do pó está justamente nos detalhes que não são vistos com frequência.

Entre os exemplos dos detalhes que devem ser limpos durante a faxina periódica estão as persianas, cortinas, luminárias, tapetes, livros, estantes, ventiladores etc.

Todos os itens da casa devem passar por uma faxina de vez em quando e tirar o pó desses objetos é fundamental para manter o ambiente realmente limpo. No caso de móveis, por exemplo, é possível usar lustra-móveis com repelente de poeira, retardando o acúmulo de pó no local.

3. Não traga sujeira para casa

O principal fator que faz com que a casa ou mesmo apartamento fique com poeira é o movimento de fora para dentro. Ao entrar e sair de casa sempre carregamos a sujeira onde vamos, seja da própria pele, roupa, cabelos ou calçados.

Assim, uma alternativa é não usar sapatos dentro de casa, deixando-os na porta. Ainda que a circulação do ar seja importante, não é necessário deixar a casa sempre aberta, pois esse costume também influencia na quantidade de pó que entra.

4. Cuidado com os tecidos

Os tecidos em geral soltam fibras no ambiente que contribuem para o acúmulo de pó, dessa forma, é importante lavar com frequência os tecidos, como lençóis, toalhas, bichos de pelúcia e cortinas.

Caso um morador tenha rinite alérgica, por exemplo, é desaconselhado o uso de cortinas ou tapetes, pois estes objetos acumulam fibras e poeira mesmo quando lavados com frequência.

5. Use um purificador de ar

O purificador de ar é um aliado importante para garantir que o ambiente não acumule muita poeira. Além de contribuir para tirar o pó, algumas tecnologias ajudam na eliminação de ácaros, fungos, mofo, bactérias e outros malefícios do ar para a saúde.

O purificador de ar ajuda a retirar o pó do ambiente, mas é importante que os filtros do aparelho sejam trocados periodicamente e que ele seja mantido perto de portas ou janelas.

Assim, diversas alternativas podem ser usadas pela família para garantir uma melhor qualidade e limpeza do ambiente, desde uma faxina mais detalhada até o purificador de ar. Com essas soluções garante-se mais bem-estar e saúde para os moradores.

Fonte: https://www.lopes.com.br/blog

 

Publicado em Dicas | Com a tag , , | Deixar um comentário

Apartamentos pequenos: Saiba como otimizar os espaços

É uma tendência, os apartamentos novos estão cada vez mais compactos. E, para conseguir mais espaço, é preciso desembolsar bem mais dinheiro do que era preciso há alguns anos. De certa forma, esse novo cenário tem obrigado muita gente a se virar em espaços menores e mais otimizados.

Para quem morava em casas ou apartamentos maiores e acabou acumulando muitas coisas ao longo dos anos tem algumas opções, como se livrar do que for “supérfluo” e manter apenas o que vale a pena, ou encontra formas de armazenar o que não pode doar e jogar fora.

Separamos algumas dicas para te inspirar a aprender a viver melhor em apartamentos compactos:

Mantenha a organização

Pode ser que a bagunça demore a aparecer em um imóvel amplo, mas em um apartamento compacto, acontece ao contrário. A organização que você vai ter no seu espaço é o que vai ditar a sua boa convivência num cômodo pequeno.

É através dessa noção de cuidado, ainda, que o seu senso de desapego pode funcionar de forma mais aguçada. Você vai abrir mão bem mais fácil de algo que não precise ter. Por exemplo, siga uma ordem de prioridades sobre o que você usa com frequência. Se só usa às vezes, porque precisa ficar espalhado pela casa?

Tente!

Use sua parede de maneira inteligente

Aproveite ao máximo os espaços verticais do seu apartamento. Retire os porta-retratos dos aparadores e cômodas e coloque-os na parede como quadros. Use e abuse das prateleiras para pregar objetos, ganchos para pendurar chaves, prateleiras e afins.

Por exemplo, uma bike que você usa todos os dias e que ocuparia um espaço enorme no seu apartamento pode ficar suspensa em pregadores próprios para a sua sustentação na parede. Simples, não?

Espelhos dão sensação de ampliação

A decoração de um apartamento pode influenciar muito na melhor otimização dos seus espaços. Por isso, considere investir no posicionamento estratégico de espelhos para causar a sensação de continuidade.

Sua sala pode ganhar um espaço a mais só com esse truque. Legal, não?

Móveis adequados

Você pode imaginar o desastre de usar móveis grandes demais em espaços pequenos. Nos casos em que você se mudar para ambientes menores, é válido considerar armazenar seus móveis em um local propício ou vendê-los e fazer novos sob medida para o espaço.

Por mais que pareça que você está perdendo espaço para estoque de coisas, fazendo tudo do jeito certo, na verdade está otimizando os seus cômodos. Tudo isso sem atravancar sua sala, quarto, cozinha, entre outros.

Armazene itens indispensáveis

Nem sempre nós podemos abrir mão de objetos só porque vamos nos mudar para uma casa menor. Ou ainda, deixar de comprar algo porque não teria espaço para guardar em casa, até porque pode ser que seja até pior manter itens de uso programado armazenados em residências de maneira inadequada.

Por exemplo, pode ser que você tenha móveis de herança, que não quer se desfazer, mas que não cabem mais em casa. Você pode recorrer a uma solução de armazenamento seguro, como um self storage, que trabalha com o aluguel de boxes para a guarda do que você precisar.

Outra possibilidade é para materiais esportivos que você usa sazonalmente. Equipamentos para esquiar, caiaques, raquetes de tênis. Eles exigem cuidados especiais de armazenamento, ou podem se deteriorar muito mais fácil em ambientes úmidos em excesso.

Ao alugar um box, você pode armazenar o que quiser, pelo tempo que quiser e sem multas contratuais quando quiser rescindir contrato. Você não gasta com IPTU, condomínio, manutenção e segurança.

Todo já está incluído dentro do valor único que você paga, e dá para aumentar o tamanho do box sempre que você quiser. É como se fosse uma extensão do seu apartamento, só que muito mais seguro.

Fonte: https://www.lopes.com.br/blog
Publicado em Dicas | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Home Office: Aprenda a organizar

Quem faz home office sabe que um dos maiores desafios de trabalhar no conforto do lar é referente à organização: tanto no trabalho quanto em casa e nos compromissos pessoais e profissionais, ter tudo à mão e conseguir organizar o ambiente é primordial para conseguir cumprir prazos e trabalhar com eficiência.

Quem tem a casa como escritório deve, primeiramente, separar um cômodo para trabalhar que não seja o quarto. Passar o dia todo no mesmo ambiente em que se dorme pode atrapalhar você na hora de pegar no sono e acaba tornando o seu dia a dia monótono. Por isso, a dica é sempre organizar um espaço na sala, em outro quarto ou na varanda, onde haja lugar suficiente para suas coisas.

Definido o lugar, chegou a hora de arrumar tudo. Algumas dicas são muito importantes para colocar tudo em seu devido lugar e ajudar você a melhorar a produtividade no seu ambiente de trabalho. No texto de hoje você vai conferir os passos para organizar seu home office e decorá-lo de acordo com as suas necessidades. Confira!

1. Tenha em mente quais são suas necessidades

Antes de pensar em um projeto do seu home office, é preciso analisar qual é a sua necessidade. Por exemplo, se você trabalha com engenharia ou arquitetura, ter uma mesa maior faz toda a diferença no seu dia a dia. É muito comum ser atraído por bons preços e acabar levando da loja de móveis e objetos que acabam não sendo úteis no dia a dia para o que você realmente precisa.

Faça uma lista do que você necessita: pode ser um computador com uma tela grande, uma mesa do tamanho ideal para ficar confortável, estantes para os livros que você consulta regularmente, uma cadeira anatômica para que você possa passar o dia sem se cansar e o que mais for preciso para que você fique bem durante todo o expediente.

2. Use caixas organizadoras

Documentos, objetos de escritório que você não usa com tanta frequência e estoques de papel sulfite, grampos, cadernos e canetas podem ficar organizados se colocados separadamente em caixas. Hoje, no mercado, há uma grande variedade de modelos que, além de ajudar a manter tudo em seu devido lugar, ajuda a decorar o ambiente.

Separe as caixas para organizar tudo e não se esqueça de etiquetá-las para não ter que abrir uma por uma para encontrar o que precisa. Elas também podem ser de estampas e tamanhos variados para, além de armazenarem o que você precisa, deixarem a decoração cheia de charme.

3. Mantenha sua mesa em ordem com organizadores

É normal que sua mesa fique um pouco desorganizada durante o uso, mas é preciso conhecer o limite da falta de organização para que isso não comprometa sua produtividade, atrasando seu trabalho enquanto você procura por itens que deveriam estar sempre à mão.

Para deixar tudo mais fácil, utilize organizadores para as canetas, clips, papéis e tente colocar tudo em seu devido lugar logo depois que o expediente chegar ao fim.

4. Use gavetas

Deixe um espaço para colocar um móvel com duas ou três gavetas próximo à sua mesa de trabalho. Normalmente esse tipo de móvel cabe embaixo da escrivaninha e é um facilitador na hora de encontrar aquele documento que você precisa. Organize os papéis que você usa com mais frequência em pastas separadas por assuntos e coloque-as dentro das gavetas.

As divisórias de gavetas são acessórios que podem te ajudar ainda mais na decoração. São práticos e ajudam você a dividir o espaço da maneira que for conveniente. Eles são vendidos separadamente e estão disponíveis em diversos tamanhos, ideais para quem deseja guardar pequenos objetos, mas não quer que a gaveta se transforme em uma bagunça.

5. Use a criatividade para decorar

Fazer do espaço um lugar alegre e que incentive o dia de trabalho também é importante, já que você passará grande parte do seu tempo nessa área da casa. Invista em pequenos quadros espalhados pela parede em frente à sua mesa, um vaso de flores coloridas e porta-retratos com imagens de momentos felizes. Faça do escritório um ambiente em que você goste de estar: dessa forma, o trabalho fica mais leve e menos cansativo.

Para aliar decoração e funcionalidade, faça um mural onde você consiga colocar recados e as anotações mais importantes referentes ao seu dia. Pode ser uma placa da cortiça com alfinetes coloridos, uma placa de metal com ímãs e até um pedaço de MDF de cor diferente para colar seus post-its. O importante é deixar um espaço diferente e sempre à vista para que você possa conferir seus compromissos e checar informações.

6. Mantenha uma rotina de organização

Melhor do que deixar para arrumar tudo uma vez por mês e gastar um dia para colocar tudo em ordem, é criar o hábito de arrumar tudo logo depois que você acabar de trabalhar, diariamente. Dessa forma, você reforça a ideia de ter cada coisa em seu lugar, facilitando encontrar aquele caderno onde você anotou uma informação importante do cliente ou um documento.

Além disso, deixar tudo organizado todos os dias evita que você perca tempo arrumando e limpando tudo constantemente.

7. Tenha espaço

Com os cômodos cada vez menores, pode parecer difícil seguir essa dica. Porém, quem trabalha em casa sabe que é muito fácil acumular papéis, deixar documentos e contas da casa sobre a escrivaninha e acabar ficando com essa parte quase sem espaço para trabalhar com conforto.

A ideia é sempre fazer uma limpeza e jogar fora tudo o que você não precisa mais. A mesa deve ter sempre espaço suficiente para que você possa colocar suas anotações diárias, seu café e não ficar desconfortável tendo que tirar tudo na hora que precisa de um pouco de espaço. Deixar a mesa livre com tudo organizado é a melhor pedida para ter mais produtividade e aproveitar seu tempo ao máximo.

O home office é uma tendência cada dia mais latente no mundo moderno. Por isso, muitas pessoas já estão entrando para esse modelo de trabalho e pode parecer difícil deixar tudo em ordem em um primeiro momento. Mas com planejamento e a criação de uma rotina, fica fácil organizar o home office e manter a produtividade no conforto do lar.

E então, vamos começar a organizar o escritório em casa? Compartilhe esse post com seus amigos e ajude-os a manter o home office com tudo no lugar!

Fonte: www.vivareal.com.br/blog
Publicado em Decoração, Dicas | Com a tag , , | Deixar um comentário

8 dicas para ajudar você na reforma em ponto comercial

Quem nunca ouviu falar que a primeira impressão é a que fica? Pode ser clichê, mas essa é uma verdade que nunca pode ser esquecida no mundo empresarial, onde o primeiro contato com o cliente pode significar o sucesso ou o fracasso de uma negociação. Se o imóvel não estiver adequado ao negócio, é hora de pensar em uma reforma.

Para ajudar, neste artigo você verá 8 dicas para isso.

1. Planeje todos os detalhes do ponto comercial com antecedência

Para reformar uma casa, é preciso saber as necessidades da família que reside ali, certo? Algo similar deve ocorrer com um imóvel comercial: reformar um imóvel comercial pede atenção às demandas do negócio, pois as modificações devem ser realizadas para atendê-las.

Nesse sentido, é preciso detalhar ao máximo quais rotinas serão cumpridas, desde aquelas voltadas para o atendimento aos clientes, até as administrativas e de estocagem de produtos e de insumos necessários ao funcionamento da empresa.

A partir desse detalhamento preliminar, procure prever quais são as melhores soluções, que possam colocar os ambientes em conformidade com as funções. Para tanto, é claro, você deve considerar o ramo de atividade e as tarefas rotineiras da empresa, assim como as necessidades dos clientes.

Por exemplo, um ponto que servirá a um restaurante grande precisará contar com instalações sanitárias para os clientes, que devem ser independentes do vestiário para os funcionários. Por outro lado, se o estabelecimento for uma loja de sapatos, que não exige a presença de toaletes abertos ao público ou de vestiários, precisa de uma instalação voltada para as pessoas que trabalham no local.

2. Tenha atenção para contratar a equipe correta

O tipo de mão de obra da reforma também é muito importante, considerando a experiência de cada profissional. É muito útil que, antes da contratação, seja feito um levantamento sobre os tipos de obras que já foram realizadas pelos candidatos. Assim, é possível comprovar se eles têm as habilidades necessárias previstas para o imóvel.

Usando o exemplo anterior, a contratação de um bombeiro hidráulico com experiência em grandes instalações é muito mais útil para o restaurante, que precisa de um grande banheiro e de um vestiário, do que seria para a loja de sapatos. Por outro lado, profissionais com experiência em iluminação de vitrines serão muito mais úteis ao projeto da sapataria do que a um restaurante.

3. Contrate um projetista e um gestor especializados

Não basta ter a melhor equipe se você não souber por onde começar a obra e por onde deve seguir! Sendo assim, para obter o melhor resultado com o investimento e acertar na hora de definir as modificações, contrate um profissional especializado em elaborar projetos específicos para o seu segmento.

Também é importante contar com um profissional com a capacitação adequada para gerenciar a obra. Por mais que abrir mão de um gestor possa parecer uma maneira de economizar, essa decisão pode acarretar em despesas maiores no andamento da obra. Por exemplo: caso alguma tarefa seja mal executada e precise ser refeita ou mesmo se houver desperdício de material.

Nesse caso, considere a contratação de um arquiteto ou engenheiro civil e de um profissional de decoração, pois eles são aptos a planejar os custos reais do projeto de reforma. Vale ressaltar que geralmente esses profissionais já têm uma relação de operários e de prestadores de serviços que serão utilizados durante a reforma, o que facilita bastante.

4. Acompanhe tudo de perto

Os profissionais contratados para projetar a obra e tocá-la devem ser de confiança, o que não significa que toda a responsabilidade de contratação da mão de obra deva ficar por conta deles. Se por um lado, nada impede que você aceite as indicações que eles fazem, por outro, é importante se certificar de que os custos que estão sendo cobrados estão corretos.

Ou seja, sempre que o empreiteiro indicar um profissional qualquer, procure outros orçamentos para o mesmo tipo de serviço e com a mesma qualidade. Caso o preço esteja fora do praticado no mercado, não tenha constrangimento em contratar outro prestador.

5. Estabeleça um cronograma

Como tudo na vida, uma obra deve ter data para começar e para acabar, sobretudo porque a atividade da empresa não pode ser iniciada, retomada ou voltar à normalidade enquanto a reforma não terminar.

Diante disso, dedique algum tempo para discutir com o empreiteiro um cronograma realista, que estabeleça prazos bem definidos para que todas as etapas sejam cumpridas. Tente deixar bem claro quais tarefas podem ser realizadas paralelamente e quais dependem da conclusão de outras para serem iniciadas, o que permite aumentar a agilidade da obra.

Imprevistos e atrasos acontecem, então, não deixe de considerá-los. Coloque um limite plausível para que a obra não se arraste muito, o que pode resultar em sérios prejuízos. Também tenha em mente que, enquanto determinada tarefa está parada por qualquer que seja o motivo, talvez outras possam ser adiantadas, a partir da realocação da mão de obra.

6. Conheça a legislação para ponto comercial

As atividades comerciais devem seguir orientações diversas, que variam de acordo com o ramo de atividade, e outras que são aplicáveis a todos os estabelecimentos. A maior parte delas está vinculada ao município onde a empresa funciona e trata as características construtivas que devem ser seguidas. Sem elas, o alvará de funcionamento não pode ser emitido.

Por exemplo, há municípios que restringem o uso de calçadas, enquanto outros impedem que grandes extensões do meio-fio sejam rebaixadas para rampas de acesso de veículos. Há também orientações sobre acessibilidade de portadores de necessidades especiais, aquelas relativas à circulação de ar, entre tantas outras. Portanto, antes de elaborar o projeto procure saber quais são as orientações dos órgãos reguladores do município.

Caso o imóvel se destine a alguma atividade especial, verifique se não há orientação específica por parte do estado onde a empresa se encontra instalada, ou mesmo da União. Por exemplo, estabelecimentos que comercializam determinados tipos de produtos químicos ou explosivos devem seguir normas técnicas rígidas, inclusive para atender a determinações federais, e a reforma deve ser feita de acordo com elas.

7. Esteja atento à instalação elétrica

A maioria dos estabelecimentos comerciais exige bastante dos circuitos elétricos do imóvel. Além da área administrativa, em que funcionam computadores, impressoras, bebedouros e outras máquinas, há também a área de atendimento ao cliente, que exige uma iluminação especial e, muitas vezes, a instalação de equipamentos.

Um restaurante, por exemplo, conta com a área de estocagem de produtos, onde funcionam os congeladores, as geladeiras e os aparelhos da cozinha. Há ainda o ar-condicionado para todo o imóvel, placas de fachada e uma série de outros recursos que consomem energia elétrica.

Portanto, para garantir que tudo funcione a contento e com segurança, contrate um eletricista capacitado.

8. Esteja preparado para gastar mais do que o planejado

Por melhor que seja o planejamento e por mais preciso que seja o projeto, sempre existe a possibilidade de o investimento sair mais caro do que o previsto originalmente. Pode ser que os materiais subam de preço ou que não sejam suficientes para realizar o que foi projetado. Ainda, é possível que alguma alteração não prevista originalmente surja como necessária ou como oportuna.

Portanto, reserve algo em torno de 10% para cobrir os gastos não previstos originalmente.

Se você tem alguma experiência com reformas de ponto comercial ou se ficou alguma duvida, compartilhe deixando o seu comentário!

FONTE: www.vivareal.com.br/blog
Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário