Home Office: Aprenda a organizar

Quem faz home office sabe que um dos maiores desafios de trabalhar no conforto do lar é referente à organização: tanto no trabalho quanto em casa e nos compromissos pessoais e profissionais, ter tudo à mão e conseguir organizar o ambiente é primordial para conseguir cumprir prazos e trabalhar com eficiência.

Quem tem a casa como escritório deve, primeiramente, separar um cômodo para trabalhar que não seja o quarto. Passar o dia todo no mesmo ambiente em que se dorme pode atrapalhar você na hora de pegar no sono e acaba tornando o seu dia a dia monótono. Por isso, a dica é sempre organizar um espaço na sala, em outro quarto ou na varanda, onde haja lugar suficiente para suas coisas.

Definido o lugar, chegou a hora de arrumar tudo. Algumas dicas são muito importantes para colocar tudo em seu devido lugar e ajudar você a melhorar a produtividade no seu ambiente de trabalho. No texto de hoje você vai conferir os passos para organizar seu home office e decorá-lo de acordo com as suas necessidades. Confira!

1. Tenha em mente quais são suas necessidades

Antes de pensar em um projeto do seu home office, é preciso analisar qual é a sua necessidade. Por exemplo, se você trabalha com engenharia ou arquitetura, ter uma mesa maior faz toda a diferença no seu dia a dia. É muito comum ser atraído por bons preços e acabar levando da loja de móveis e objetos que acabam não sendo úteis no dia a dia para o que você realmente precisa.

Faça uma lista do que você necessita: pode ser um computador com uma tela grande, uma mesa do tamanho ideal para ficar confortável, estantes para os livros que você consulta regularmente, uma cadeira anatômica para que você possa passar o dia sem se cansar e o que mais for preciso para que você fique bem durante todo o expediente.

2. Use caixas organizadoras

Documentos, objetos de escritório que você não usa com tanta frequência e estoques de papel sulfite, grampos, cadernos e canetas podem ficar organizados se colocados separadamente em caixas. Hoje, no mercado, há uma grande variedade de modelos que, além de ajudar a manter tudo em seu devido lugar, ajuda a decorar o ambiente.

Separe as caixas para organizar tudo e não se esqueça de etiquetá-las para não ter que abrir uma por uma para encontrar o que precisa. Elas também podem ser de estampas e tamanhos variados para, além de armazenarem o que você precisa, deixarem a decoração cheia de charme.

3. Mantenha sua mesa em ordem com organizadores

É normal que sua mesa fique um pouco desorganizada durante o uso, mas é preciso conhecer o limite da falta de organização para que isso não comprometa sua produtividade, atrasando seu trabalho enquanto você procura por itens que deveriam estar sempre à mão.

Para deixar tudo mais fácil, utilize organizadores para as canetas, clips, papéis e tente colocar tudo em seu devido lugar logo depois que o expediente chegar ao fim.

4. Use gavetas

Deixe um espaço para colocar um móvel com duas ou três gavetas próximo à sua mesa de trabalho. Normalmente esse tipo de móvel cabe embaixo da escrivaninha e é um facilitador na hora de encontrar aquele documento que você precisa. Organize os papéis que você usa com mais frequência em pastas separadas por assuntos e coloque-as dentro das gavetas.

As divisórias de gavetas são acessórios que podem te ajudar ainda mais na decoração. São práticos e ajudam você a dividir o espaço da maneira que for conveniente. Eles são vendidos separadamente e estão disponíveis em diversos tamanhos, ideais para quem deseja guardar pequenos objetos, mas não quer que a gaveta se transforme em uma bagunça.

5. Use a criatividade para decorar

Fazer do espaço um lugar alegre e que incentive o dia de trabalho também é importante, já que você passará grande parte do seu tempo nessa área da casa. Invista em pequenos quadros espalhados pela parede em frente à sua mesa, um vaso de flores coloridas e porta-retratos com imagens de momentos felizes. Faça do escritório um ambiente em que você goste de estar: dessa forma, o trabalho fica mais leve e menos cansativo.

Para aliar decoração e funcionalidade, faça um mural onde você consiga colocar recados e as anotações mais importantes referentes ao seu dia. Pode ser uma placa da cortiça com alfinetes coloridos, uma placa de metal com ímãs e até um pedaço de MDF de cor diferente para colar seus post-its. O importante é deixar um espaço diferente e sempre à vista para que você possa conferir seus compromissos e checar informações.

6. Mantenha uma rotina de organização

Melhor do que deixar para arrumar tudo uma vez por mês e gastar um dia para colocar tudo em ordem, é criar o hábito de arrumar tudo logo depois que você acabar de trabalhar, diariamente. Dessa forma, você reforça a ideia de ter cada coisa em seu lugar, facilitando encontrar aquele caderno onde você anotou uma informação importante do cliente ou um documento.

Além disso, deixar tudo organizado todos os dias evita que você perca tempo arrumando e limpando tudo constantemente.

7. Tenha espaço

Com os cômodos cada vez menores, pode parecer difícil seguir essa dica. Porém, quem trabalha em casa sabe que é muito fácil acumular papéis, deixar documentos e contas da casa sobre a escrivaninha e acabar ficando com essa parte quase sem espaço para trabalhar com conforto.

A ideia é sempre fazer uma limpeza e jogar fora tudo o que você não precisa mais. A mesa deve ter sempre espaço suficiente para que você possa colocar suas anotações diárias, seu café e não ficar desconfortável tendo que tirar tudo na hora que precisa de um pouco de espaço. Deixar a mesa livre com tudo organizado é a melhor pedida para ter mais produtividade e aproveitar seu tempo ao máximo.

O home office é uma tendência cada dia mais latente no mundo moderno. Por isso, muitas pessoas já estão entrando para esse modelo de trabalho e pode parecer difícil deixar tudo em ordem em um primeiro momento. Mas com planejamento e a criação de uma rotina, fica fácil organizar o home office e manter a produtividade no conforto do lar.

E então, vamos começar a organizar o escritório em casa? Compartilhe esse post com seus amigos e ajude-os a manter o home office com tudo no lugar!

Fonte: www.vivareal.com.br/blog
Publicado em Decoração, Dicas | Com a tag , , | Deixar um comentário

8 dicas para ajudar você na reforma em ponto comercial

Quem nunca ouviu falar que a primeira impressão é a que fica? Pode ser clichê, mas essa é uma verdade que nunca pode ser esquecida no mundo empresarial, onde o primeiro contato com o cliente pode significar o sucesso ou o fracasso de uma negociação. Se o imóvel não estiver adequado ao negócio, é hora de pensar em uma reforma.

Para ajudar, neste artigo você verá 8 dicas para isso.

1. Planeje todos os detalhes do ponto comercial com antecedência

Para reformar uma casa, é preciso saber as necessidades da família que reside ali, certo? Algo similar deve ocorrer com um imóvel comercial: reformar um imóvel comercial pede atenção às demandas do negócio, pois as modificações devem ser realizadas para atendê-las.

Nesse sentido, é preciso detalhar ao máximo quais rotinas serão cumpridas, desde aquelas voltadas para o atendimento aos clientes, até as administrativas e de estocagem de produtos e de insumos necessários ao funcionamento da empresa.

A partir desse detalhamento preliminar, procure prever quais são as melhores soluções, que possam colocar os ambientes em conformidade com as funções. Para tanto, é claro, você deve considerar o ramo de atividade e as tarefas rotineiras da empresa, assim como as necessidades dos clientes.

Por exemplo, um ponto que servirá a um restaurante grande precisará contar com instalações sanitárias para os clientes, que devem ser independentes do vestiário para os funcionários. Por outro lado, se o estabelecimento for uma loja de sapatos, que não exige a presença de toaletes abertos ao público ou de vestiários, precisa de uma instalação voltada para as pessoas que trabalham no local.

2. Tenha atenção para contratar a equipe correta

O tipo de mão de obra da reforma também é muito importante, considerando a experiência de cada profissional. É muito útil que, antes da contratação, seja feito um levantamento sobre os tipos de obras que já foram realizadas pelos candidatos. Assim, é possível comprovar se eles têm as habilidades necessárias previstas para o imóvel.

Usando o exemplo anterior, a contratação de um bombeiro hidráulico com experiência em grandes instalações é muito mais útil para o restaurante, que precisa de um grande banheiro e de um vestiário, do que seria para a loja de sapatos. Por outro lado, profissionais com experiência em iluminação de vitrines serão muito mais úteis ao projeto da sapataria do que a um restaurante.

3. Contrate um projetista e um gestor especializados

Não basta ter a melhor equipe se você não souber por onde começar a obra e por onde deve seguir! Sendo assim, para obter o melhor resultado com o investimento e acertar na hora de definir as modificações, contrate um profissional especializado em elaborar projetos específicos para o seu segmento.

Também é importante contar com um profissional com a capacitação adequada para gerenciar a obra. Por mais que abrir mão de um gestor possa parecer uma maneira de economizar, essa decisão pode acarretar em despesas maiores no andamento da obra. Por exemplo: caso alguma tarefa seja mal executada e precise ser refeita ou mesmo se houver desperdício de material.

Nesse caso, considere a contratação de um arquiteto ou engenheiro civil e de um profissional de decoração, pois eles são aptos a planejar os custos reais do projeto de reforma. Vale ressaltar que geralmente esses profissionais já têm uma relação de operários e de prestadores de serviços que serão utilizados durante a reforma, o que facilita bastante.

4. Acompanhe tudo de perto

Os profissionais contratados para projetar a obra e tocá-la devem ser de confiança, o que não significa que toda a responsabilidade de contratação da mão de obra deva ficar por conta deles. Se por um lado, nada impede que você aceite as indicações que eles fazem, por outro, é importante se certificar de que os custos que estão sendo cobrados estão corretos.

Ou seja, sempre que o empreiteiro indicar um profissional qualquer, procure outros orçamentos para o mesmo tipo de serviço e com a mesma qualidade. Caso o preço esteja fora do praticado no mercado, não tenha constrangimento em contratar outro prestador.

5. Estabeleça um cronograma

Como tudo na vida, uma obra deve ter data para começar e para acabar, sobretudo porque a atividade da empresa não pode ser iniciada, retomada ou voltar à normalidade enquanto a reforma não terminar.

Diante disso, dedique algum tempo para discutir com o empreiteiro um cronograma realista, que estabeleça prazos bem definidos para que todas as etapas sejam cumpridas. Tente deixar bem claro quais tarefas podem ser realizadas paralelamente e quais dependem da conclusão de outras para serem iniciadas, o que permite aumentar a agilidade da obra.

Imprevistos e atrasos acontecem, então, não deixe de considerá-los. Coloque um limite plausível para que a obra não se arraste muito, o que pode resultar em sérios prejuízos. Também tenha em mente que, enquanto determinada tarefa está parada por qualquer que seja o motivo, talvez outras possam ser adiantadas, a partir da realocação da mão de obra.

6. Conheça a legislação para ponto comercial

As atividades comerciais devem seguir orientações diversas, que variam de acordo com o ramo de atividade, e outras que são aplicáveis a todos os estabelecimentos. A maior parte delas está vinculada ao município onde a empresa funciona e trata as características construtivas que devem ser seguidas. Sem elas, o alvará de funcionamento não pode ser emitido.

Por exemplo, há municípios que restringem o uso de calçadas, enquanto outros impedem que grandes extensões do meio-fio sejam rebaixadas para rampas de acesso de veículos. Há também orientações sobre acessibilidade de portadores de necessidades especiais, aquelas relativas à circulação de ar, entre tantas outras. Portanto, antes de elaborar o projeto procure saber quais são as orientações dos órgãos reguladores do município.

Caso o imóvel se destine a alguma atividade especial, verifique se não há orientação específica por parte do estado onde a empresa se encontra instalada, ou mesmo da União. Por exemplo, estabelecimentos que comercializam determinados tipos de produtos químicos ou explosivos devem seguir normas técnicas rígidas, inclusive para atender a determinações federais, e a reforma deve ser feita de acordo com elas.

7. Esteja atento à instalação elétrica

A maioria dos estabelecimentos comerciais exige bastante dos circuitos elétricos do imóvel. Além da área administrativa, em que funcionam computadores, impressoras, bebedouros e outras máquinas, há também a área de atendimento ao cliente, que exige uma iluminação especial e, muitas vezes, a instalação de equipamentos.

Um restaurante, por exemplo, conta com a área de estocagem de produtos, onde funcionam os congeladores, as geladeiras e os aparelhos da cozinha. Há ainda o ar-condicionado para todo o imóvel, placas de fachada e uma série de outros recursos que consomem energia elétrica.

Portanto, para garantir que tudo funcione a contento e com segurança, contrate um eletricista capacitado.

8. Esteja preparado para gastar mais do que o planejado

Por melhor que seja o planejamento e por mais preciso que seja o projeto, sempre existe a possibilidade de o investimento sair mais caro do que o previsto originalmente. Pode ser que os materiais subam de preço ou que não sejam suficientes para realizar o que foi projetado. Ainda, é possível que alguma alteração não prevista originalmente surja como necessária ou como oportuna.

Portanto, reserve algo em torno de 10% para cobrir os gastos não previstos originalmente.

Se você tem alguma experiência com reformas de ponto comercial ou se ficou alguma duvida, compartilhe deixando o seu comentário!

FONTE: www.vivareal.com.br/blog
Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

Sofá de pallet: aprenda como usa-lo na decoração

O sofá  de pallet se popularizou e tem ganhado cada vez mais espaço na decoração da casa. Ao lado dele,  prateleiras, camas, racks, sofás, mesas de centro, estudo e jantar, tudo feito do material. As possibilidades de trabalhar com os pallets são muitas, especialmente por conta da madeira leve e de fácil adaptabilidade em relação ao tamanho. Mas, afinal, o que são pallets?

Também conhecidos como porta-pallets ou paletes (como a palavra foi livremente traduzida para o português), eles ajudam no armazenamento de produtos pesados e podem ser de madeira, plástico ou metal. Seu formato conta com um sistema de travessas de encaixe responsáveis pela agilidade e facilidade na montagem e desmontagem.

Exemplos de pallet para fazer sofá

Na decoração, os pallets de madeira são os mais populares. As pessoas podem optar por comprar os móveis prontos ou montar do jeito que preferir. É possível encontrá-los em armazéns, galpões, supermercados, alfândegas e lugares que costumam trabalhar com cargas de peso. Os pallets geralmente são feitos de madeiras de árvores de eucalipto e pinus.

Sofá de pallet: um coringa na organização

O grande desafio de quem mora em apartamento pequeno é usar o pouco espaço que tem da melhor forma possível, dispondo todos os pertences de uma maneira que o lugar não pareça estar bagunçado. Os pallets são uma ótima solução para organização e aproveitamento de cada cantinho. Um sofá de pallet deixa a sala com bastante espaço livre. Para montar é preciso apenas das peças de madeira e de um estofado por cima deles. Veja dicas de como fazer e tirar o melhor proveito de um sofá de pallet:

  • Se optar por pallets de madeira, confira se a mesma não está desgastada de forma que possa quebrar. É importante checar a qualidade para evitar acidentes;
  • Escolha assentos confortáveis para o sofá de pallet e que não prejudiquem a postura. Lembre-se que você o usará bastante para ler um livro, ver televisão, tirar um cochilo, conversar com outra pessoa;
  • Ao montar um sofá de pallet, surgirá espaço entre o chão e o estofado que pode ser usado para guardar diversos tipos de objetos, como o controle remoto da televisão, livros, revistas, carregadores de celular, tablets;
  • Ao lado do sofá podem ser empilhados pallets que formem uma mesinha. Dessa forma dá para decorar com luminárias ou até mesmo deixar como apoio para a pipoca na hora do filme. A mesinha de centro também pode ser de pallet e facilmente acoplada ao sofá;
  • Caso sinta que o sofá está baixo ou alto demais, é necessário apenas tirar ou acrescentar pallets. Além disso, dependendo da quantidade de pallets, é possível transformá-los em uma cama de casal para as visitas, evitando colchões diretamente no chão;
  • O pallet facilita a limpeza do na hora da faxina. Ao invés de arrastar os sofás pesados é só colocar uma peça em cima da outra ou até mesmo passar o aspirador no espaço que fica entre elas. Dessa forma, já não é necessário esforço nem perda de tempo para arrastar um sofá em um espaço reduzido.

Combinando com o espaço

Além de versátil no tamanho, o sofá de pallet combina facilmente com a sala. Dá para pintar as peças de madeira da cor que quiser e trocar o forro do estofado que fica por cima. Toda vez que for planejada uma mudança para a casa, não será necessário se preocupar se o sofá está ornando com o espaço.

Na hora de comprar a tinta para os pallets, veja qual é a indicada para a madeira. Antes de pintar novamente o mesmo material, teste como ficará uma cor por cima da anterior. Lembre-se que as cores claras em espaços pequenos dão a impressão de um ambiente maior e mais organizado, então aposte nelas na hora de personalizar o sofá de pallet.

Não pegue todos os pallets possíveis e leve para o apartamento. Planeje o local onde quer deixar o sofá, tire as medidas e escolha qual será a altura ideal, que geralmente é olhando a televisão na mesma altura de quando estiver sentado. Caso não tenha TV no ambiente que os pallets ficarão, pense em uma altura que não dificulte na hora de sentar e levantar do sofá.

Você tem sofá de pallet no seu apartamento? Foi fácil de montar?  Conte-nos sobre a sua experiência nos comentários!

Publicado em Decoração, Dicas | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

7 dicas para o seu apartamento parecer maior

Quando se abandona a casa dos pais e se opta por morar sozinho, nem sempre a primeira casa pode ser do tamanho sonhado. Mas, isso não significa que a sua estadia naquele endereço precisa ser algo desagradável. Afinal, existem diversas ações que você pode fazer para seu apartamento parecer maior.

E você nem precisa gastar muito para que fazer essas pequenas mágicas. Não se trata de mudar demais o conceito de sua residência, mas adotar alguns truques simples para facilitar o seu cotidiano e aproveitar cada centímetro do imóvel alugado ou comprado.

Nada que algumas mudanças nos lugares dos móveis, uma decoração muito bem estudada e a utilização de todos os cantinhos sejam o suficiente para o seu apartamento corresponder às suas expectativas. Então, confira algumas dicas a seguir e libere a criatividade!

1. Aposte nos espelhos

Os espelhos devem se tornar os seus melhores amigos, mas não tenha medo de adquirir os produtos mais inusitados que encontrar nas suas andanças. Isso acontece porque uma imagem espelhada proporciona a sensação de que existe mais espaço naquele local.

Além disso, os espelhos também ajudam a refletir a luz natural e fazem com que tudo ao seu redor seja muito mais brilhante e vivo. Contudo, dê preferência para as peças espelhadas maiores e largas, com a possibilidade de ocupar uma parede totalmente.

O objetivo não é ser apenas um local para que a pessoa se olhe nele, mas que atue de maneira intensa na decoração de sua casa, fazendo o apartamento maior do que aparenta na sua planta compacta.

2. Pense nas peças suspensas

Essa opção pode nunca ter passado pela sua cabeça até se deparar com uma propriedade compacta, mas a utilização de móveis suspensos pode ser essencial para deixar a moradia do que jeito que deseja. O ideal é poder visualizar o chão sumindo debaixo dos móveis, fazendo o apartamento parecer maior.

Contudo, evite instalar os móveis suspensos a partir do teto, porque isso poderia resultar em muitas interferências e obras, o que pode não ser permitido em um contrato de aluguel. Nesse caso, tente simplificar todo o procedimento e aproveitar a estrutura à sua disposição.

3. Espaços livres

Não permita que o seu apartamento se transforme em um verdadeiro labirinto, com pouco espaço para circular entre os cômodos. Uma boa opção é usar apenas prateleiras estreitas, uma vez que esses móveis suportam livros, CDs, DVDs e itens que não necessitam de um suporte reforçado.

4. Explore móveis funcionais

Você pode mobiliar o seu lar com móveis multifuncionais, ou seja, as camas com gavetas, mesas retráteis, sofás-cama, utensílios embutidos, enfim, os móveis dois em um. Essa pode ser uma alternativa para usufruir de todos cantinhos e fazer o apartamento parecer maior. Isso também pode funcionar para os seus ambientes.

5. Banheiro compacto

O banheiro de um imóvel compacto tende a ser ligeiramente apertado, por isso, não coloque prateleiras. Troque por nichos na parede que também podem sustentar todos os itens usados. Você também pode fazer móveis sob medida e evitar que móveis grandes demais impeçam a movimentação de moradores.

6. Utilize cortinas

As cortinas podem ser uma excelente opção desde que cubram toda a parede, do teto ao chão. Essa ação faz toda a diferença – e nem pense em usar aquelas cortinas que só cobrem uma janela. Vale destacar também que a cortina pode contribuir para colorir a parede e animar todo o ambiente.

É uma simples atitude, mas pode fazer com que seu apartamento pareça maior, principalmente se acertar na tonalidade. O ideal é apostar em itens mais finos e leves com tonalidades claras e pastéis, para não impedir a entrada da luz natural no seu imóvel.

7. Iluminação estilizada

Uma das preocupações mais comuns é com relação à iluminação dos cômodos. Muitas vezes, um recinto pode ficar mais escuro do que o outro dependendo da oferta de luz solar ou não. Por isso, algumas opções podem facilitar e dar ainda mais vida ao seu lar.

Os balizadores podem ser usados para iluminar os cômodos de sua casa, uma vez que são embutidos e não preenchem muito espaço. Desta maneira, se trata de uma alternativa válida, econômica e compacta para oferecer um ar descolado e intimista para o seu apartamento.

Lembra de algum truque? Já colocou em prática alguma dica acima? Deixe sua opinião nos comentários!

FONTE: www.vivareal.com.br/blog
Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário